PROCESSAMENTO DA INFORMAÇÃO E ANTECIPAÇÃO EM JOGADORAS DE ANDEBOL DE ELITE: DA FORMAÇÃO AO ALTO NÍVEL

  • Paula Biscaia
  • Eduarda Coelho
  • Antonio Hernández-Mendo
  • Jose Alves

Resumen

O objetivo deste estudo é identificar o que diferencia as jogadoras de andebol desde o nível de formação ao alto nível no que se refere ao processamento da informação e à precisão na antecipação, tendo em conta o escalão competitivo e a quantidade de prática. A amostra foi constituída por 71 jogadoras das seleções de Andebol de Portugal, entre os 11 e 29 anos de idade e com 1 a 18 anos de prática. Aplicou-se o polireaciómetro para Windows (PRWin) para avaliar o processamento de informação e um protocolo para recolha da precisão na antecipação utilizando o paradigma da oclusão temporal (PROTANDE). Para a comparação dos grupos etários foi utilizada uma MANOVA, com teste post hoc HSD de Tukey e para correlacionar as variáveis usamos o coeficiente de correlação de Pearson. Os resultados sugerem que o tempo de reação vai diminuindo ao longo dos escalões/idade estudados, sendo as jogadoras dos escalões/idade mais velhos as que apresentam os melhores tempos de reação e são mais precisas na antecipação. Também a quantidade de prática leva a uma diminuição do tempo despendido no processamento da informação, nomeadamente nas situações mais complexas. Concluindo, as jogadoras mais velhas e mais experientes processam a informação mais eficazmente e conseguem antecipar com uma maior precisão.

Publicado
2018-06-20
Sección
Artículos