Ibero-American Journal of Exercise and Sports Psychology

MOTIVATION FOR PHYSICAL ACTIVITY PRACTICE AND SATISFACTION WITH LIFE IN HEALTH SCIENCES FIRST-YEAR STUDENTS - RELATIONSHIP BETWEEN GENDER AND DIFFERENT GEOGRAPHIC REGIONS

RESUMO

Samuel Honório, Marco Batista, Maria-Raquel G. Silva

A prática de atividade física em todas as faixas etárias é fundamental. O risco de muitas doenças e problemas de saúde habituais diminui com a atividade física regular. Este estudo tem como objetivo principal identificar as motivações para a prática desportiva e a satisfação com a vida de alunos inscritos no primeiro ano de cursos de Ciências da Saúde e compará-los entre género e diferentes regiões geográficas do país. O número total de participantes foi de 177 estudantes de ambos os géneros e de 3 regiões diferentes (Norte, Centro e Interior de Portugal). 31 (17,5%) eram do género masculino e 146 (82,5%) do género feminino, com uma idade média de 20,20±3,04 anos dos 18 aos 30 anos. O instrumento de recolha de dados utilizado foi um questionário de seis escalas que avaliam cada uma das variáveis: Escala de Regulação Comportamental no Desporto, Escala das Necessidades Psicológicas Básicas e Escala de Satisfação com a Vida. Foram apresentadas estatísticas descritivas e o alfa de Cronbach foi calculado para avaliar a consistência interna dos questionários. Adotou-se um nível de significância com margem de erro de 5% para uma probabilidade de pelo menos 95% usando as técnicas de Levene e Mann-Whitney para comparações entre géneros e regiões do país utilizando o programa SPSS (v20). Os resultados mostram que a motivação para quem mantém uma prática constante de AF foca-se na motivação intrínseca em ambos os géneros, com diferenças significativas. Na Amotivação, as mulheres com regulação externa e introjetada apresentam níveis mais elevados para a prática de AF em relação aos homens. Nas necessidades psicológicas básicas, o género masculino apresenta valores mais elevados em todas as variáveis com diferenças significativas na relação e na competência. Na satisfação com a vida entre os géneros, os homens apresentam médias mais elevadas e os estudantes que praticam AF são os mais satisfeitos com a vida. Segundo a região do país, essa variável é mais favorável aos estudantes do Norte. Podemos concluir que a motivação intrínseca e a satisfação com a vida resultam como um fator extremamente positivo nestes alunos que devem continuar ativos para manter essa satisfação com a vida.

PDF
Top