Ibero-American Journal of Exercise and Sports Psychology

PRATICAR NATAÇÃO É UMA PAIXÃO OU UM SACRIFÍCIO? ESTUDO DA RELAÇÃO ENTRE O TIPO DE PAIXÃO QUE O ATLETA SENTE PELA MODALIDADE E A SUA ORIENTAÇÃO MOTIVACIONAL

RESUMO

Luís Cid & Hugo Louro

O principal objectivo deste estudo foi analisar a relação existente entre o tipo de paixão (harmoniosa ou obsessiva) e a orientação motivacional (para o ego ou para a tarefa) dos atletas da modalidade de natação. Neste sentido, participaram neste estudo 46 atletas de natação (n=46), de ambos os géneros (15 femininos; 31 masculinos), com idades compreendidas entre os 14 e os 17 anos (M=15.2; SD=1.0), que disputavam os campeonatos nacionais e regionais em diversos escalões competitivos (juvenis, juniores e seniores). Para tal, foram utilizadas as versões Portuguesas dos seguintes instrumentos de medida: Passion Scale (PS) e Task and Ego Orientation in Sport Questionnaire (TEOSQ). Os principais resultados revelaram uma correlação positiva significativa entre a paixão harmoniosa e a orientação motivacional para a tarefa (r=0.52; p=0.000), e entre a paixão obsessiva e a orientação motivacional para o ego (r=0.29; p=0.049). Por outro lado, também se verificou uma correlação positiva e significativa entre a paixão obsessiva e a orientação motivacional para a tarefa (r=0.39; p=0.008), o que pode ser justificado pela forte correlação encontrada entre os dois tipos de paixão (r=0.60; p=0.000). Estes resultados revelam que os atletas praticam natação de livre vontade, essencialmente devido ao gosto que tem pela sua modalidade e não por pressões internas. No entanto, os valores moderados encontrados na paixão obsessiva e na orientação motivacional para o ego, levam à existência de alguns sentimentos latentes de sacrifício pela prática da modalidade.

PDF
Top